Orgão Oficial

RelatosCBC - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões - Journal of the Brazilian College of Surgeons

Artigos Relacionados

11 resultado(s) para: Fraturas Zigomáticas/cirurgia. Fraturas Orbitárias. Fixação de Fratura. Criança.

Adenocarcinoma de suprarrenal na infância

Childhood adrenal adenocarcinoma

Leticia Alves Antunes; Edrei Maia Soares; Cássio Costa; Francisco Marcos Barros; Pedro Fleury Teixeira

Relatos Casos Cir. 2016;(3): 1-4 : Relato de Caso

Resumo PDF PT

O presente trabalho tem por objetivo descrever um caso singular de tumor do córtex da adrenal em criança de um ano e sete meses. Seu diagnóstico foi feito tardiamente e o paciente apresentava-se com características incomuns, como idade rara de incidência do tumor, percentil de peso normal e ausência de tumor palpável.


Palavras-chave: Doenças do Córtex Suprarrenal. Criança. Neoplasias. Neoplasias do Córtex Suprarrenal.

Duplo volvo de ceco e sigmoide em má rotação em criança

Double volvulus of cecum and sigmoid colon with malrotation in children

Danilo José Florindo Faria; Maria Cristina Gomes Abreu; Mário Fuhrmann Neto; Andressa Franzoni Borges Telles; José Luiz Martins, ECBC-SP

Relatos Casos Cir. 2016;(3): 1-4 : Relato de Caso

Resumo PDF PT

Este é um relato de caso de um duplo volvo de ceco e sigmoide em má rotação na criança por não fixação embriológica do intestino grosso, demonstrando a embriologia do intestino delgado e grosso, e os vícios de rotação mais comumente observados e a gravidade destes casos.


Palavras-chave: Volvo Intestinal. Criança. Doenças do Ceco. Doenças do Colo Sigmoide.

Ingestão de corpo estranho (prego) por crianças - manejo conservador

Foreign body (nail) ingestion by children - conservative management

Bruna Cecília Neves de Carvalho; Carolina Talini; Letícia Alves Antunes; Ayrton Alves Aranha Junior; André Luís Fortes Alves; Giovana Camargo de Almeida

Relatos Casos Cir. 2017;(2): 1-3 : Relato de Caso

Resumo PDF PT

A ingestão de corpo estranho é um problema comum na população pediátrica, com até 75% dos casos ocorrendo em crianças menores de cinco anos. O corpo estranho que passa para além da junção gastro-esofágica geralmente passa pelo trato gastrointestinal sem complicações. Nos casos em que o tratamento conservador é escolhido o paciente tem que ser acompanhado diariamente com exame clínico e radiografia. O objetivo deste estudo é relatar dois casos de ingestão de prego por crianças, que foram tratados conservadoramente e os pregos eliminados de forma espontânea e sem intercorrências. Os casos relatados aqui demonstram que a ingestão de prego pode ser acompanhado clinicamente com bons resultados.


Palavras-chave: Corpos Estranhos. Criança. Análise de Intenção de Tratamento. Assistentes de Pediatria.

Cisto de duplicação gástrica em lactente

Gastric duplication cyst in infant

Letícia Alves Antunes; Carolina Talini; Bruna Cecília Neves de Carvalho; Thaissa Gibim Ponçano; Sylvio Gilberto Andrade Avilla

Relatos Casos Cir. 2017;(2): 1-3 : Relato de Caso

Resumo PDF PT

Duplicações do trato alimentar são anomalias congênitas raras que normalmente se tornam sintomáticas na infância. Os cistos de duplicação gástrica correspondem a 8% dos casos. Relatamos um caso raro de duplicação gástrica em paciente pediátrico com vômitos volumosos de conteúdo alimentar, submetido à laparotomia para ressecção do cisto.


Palavras-chave: Abdome Agudo. Laparotomia. Trato Gastrointestinal. Criança.

Fusão esplenogonadal em criança com criptorquidia

Splenogonadal fusion in children with cryptorchism

Carolina Talini; Bruna Cecília Neves de Carvalho; Weliton Durães; Higor Rabelo Guedes; Analice Queiroz Reis; Thaís da Silva Sá; Cássio Costa; Letícia Alves Antunes

Relatos Casos Cir. 2018;(2): e1880 : Relato de Caso

Resumo PDF PT

A fusão esplenogonadal é uma anomalia congênita rara, que em geral tem seu diagnóstico de forma incidental, podendo ser erroneamente diagnosticada como tumor testicular, levando à orquiectomia de um testículo saudável. Este caso tem por objetivo relatar um caso de fusão esplenotesticular em paciente com criptorquidia e testículo impalpável. Paciente masculino, 3,6 anos, criptorquidia bilateral com testículo direito palpável no canal inguinal e testículo esquerdo impalpável. Submetido à laparoscopia que evidenciou presença de massa tumoral no testículo esquerdo intra-abdominal com cordão fibroso ligando o testículo ectópico até o baço. Pela suspeita de tumoração optou-se pela orquiectomia, que após análise histológica confirmou tratar-se de tecido de baço normal aderido ao testículo. Trata-se de uma patologia rara e benigna, que deve ser suspeitada para que o diagnóstico correto seja definido e orquiectomias desnecessárias sejam evitadas.


Palavras-chave: Baço. Testículo. Anormalidades Congênitas. Criptorquidismo. Criança.

Cistoadenoma seroso gigante de ovário manifestando-se como ascite em paciente pré-púbere

Giant ovarian serous cystadenoma manifested as ascites in prepubertal patient

Cláudio Franco do Amaral Kfouri, ACBC-SP; Beatriz Tosetto Nogueira; Isabella Marson Viana; Andressa Pozzati; Vinícius de Souza Godoi; Maria Clara Ferreira Nonato România; Denise Tosetto Nogueira; Welington Lombardi; Claudinei da Silva

Relatos Casos Cir. 2018;(2): e1893 : Relato de Caso

Resumo PDF PT

O cistoadenoma seroso de ovário (CSO) é uma das neoplasias mais frequentes na prática clínica. Entretanto, fora descrito raríssimas vezes em pacientes pré-púberes, uma vez que a prevalência dessa afecção predomina entre os 20 e 50 anos de idade. São considerados cistos gigantes aqueles que possuem tamanho superior a 15cm e que são passíveis de complicações como rotura e torção. O objetivo desse relato de caso é evidenciar que o CSO é incomum na pré-puberdade devido ao fato das pacientes ainda não apresentarem ovários funcionantes, além de revisar a literatura sobre o tema.


Palavras-chave: Cistadenoma Seroso. Neoplasias Ovarianas. Ascite. Laparotomia. Criança.

Teratoma imaturo ovariano em jovem de 12 anos

Immature ovarian teratoma in a young 12 years old

Aline Boechat de Oliveira; Camille Rodrigues Guedes; Claudio Sérgio Batista, TCBC-RJ

Relatos Casos Cir. 2018;(3): e1918 : Relato de Caso

Resumo PDF PT

Os teratomas imaturos ovarianos são tumores malignos raros, geralmente sólidos, formados por tecidos indiferenciados dos três folhetos germinativos. São preferencialmente unilaterais e é comum no ovário contralateral encontrarmos teratoma benigno. Surgem em mulheres jovens, com faixa etária média de 18 anos. Paciente de 12 anos de idade com teratoma imaturo gigante em ovário direito que além do seu tamanho infrequente, apresentou-se em uma faixa etária precoce. Como conduta diagnóstica e terapêutica foi realizada laparotomia exploradora com exérese do tumor ovariano e ooforectomia a direita, porém com preservação da trompa ipsilateral. A idade da paciente, jovem e sem prole constituída, foi desafiador para definir a conduta.


Palavras-chave: Neoplasias Ovarianas. Teratoma. Células Germinativas. Procedimentos Cirúrgicos Operatórios. Criança.

Acesso cervical para exérese de cisto broncogênico em mediastino anterior em criança

Cervical access to remove bronchogenic cyst in the anterior mediastinum in a pediatric patient

Letícia Alves Antunes; Carolina Talini; Bruna Cecília Neves de Carvalho; Weliton Durães; Renato Neves Noronha; Otávio Jana Rodrigues, ACBC-MG

Relatos Casos Cir. 2018;(3): e1966 : Relato de Caso

Resumo PDF PT

Os cistos broncogênicos são formados a partir do desenvolvimento anormal do intestino anterior, caracterizados por conter tecidos normalmente encontrados na traqueia e brônquios. São alterações raras com baixa prevalência e que podem produzir efeitos compressivos sobre a via área, dependendo de sua localização e tamanho. Este relato trata de um paciente de dois anos e seis meses de idade com estridor respiratório desde os seis meses de vida, que recebeu tardiamente o diagnóstico de cisto broncogênico em mediastino anterior. A lesão era extensa (4,8 x 4,5 x 4,5cm), comprimindo e desviando a traqueia, porém sua ressecção completa foi possível apenas por meio da cervicotomia, não sendo necessário acesso torácico. A anatomia patológica confirmou o diagnóstico. Apesar de ser uma anomalia rara, na presença de sintomas respiratórios em pacientes lactentes, o diagnóstico de cisto broncogênico deve sempre ser aventado, possibilitando o tratamento cirúrgico precoce e evitando a morbidade associada a esta patologia.


Palavras-chave: Cisto Mediastínico. Doenças do Mediastino. Cirurgia. Criança.

Abordagem cirúrgica de fraturas complexas de face: a importância do planejamento sequencial

Surgical approach of complex facial fractures: the importance of sequential planning

Cristovão Marcondes Castro Rodrigues; Izabella Sol; Daniela Meneses Santos; Matheus Silvestre Minucci; Lair Mambrini Furtado; Larissa Gonçalves Cunha Rios; Darceny Zanetta Barbosa

Relatos Casos Cir. 2018;(4): e1993 : Relato de Caso

Resumo PDF PT

As fraturas múltiplas de face ocorrem com maior frequência a cada dia, principalmente devido a fatores de risco como acidentes automobilísticos, motociclísticos e ferimentos por arma de fogo. As fraturas múltiplas de face recebem a denominação de fraturas panfaciais uma vez que todos os terços faciais apresentam fraturas concomitantes. É muito comum essas lesões estarem relacionadas aos tecidos moles e perdas de estruturas ósseas severas que podem levar a graves deformidades faciais e maloclusão. Devido à ausência de estrutura óssea estáveis, as quais sirvam de arcabouço para a redução das fraturas, esse tratamento é considerado complexo e um desafio para o cirurgião bucomaxilofacial. Graças ao advento da fixação interna rígida, o tratamento das fraturas panfaciais ganhou mais previsibilidade, desta maneira restabelecendo uma condição estética/funcional satisfatória ao paciente. O objetivo desse artigo é discutir a importância de uma sequência de tratamento bem definida e planejada, bem como relatar um caso clínico de fratura panfacial decorrente de acidente de trânsito (carro versus bicicleta), cujo tratamento adotado pela equipe foi a abordagem cirúrgica para realização da fixação das fraturas com placas e parafusos de titânio.


Palavras-chave: Ossos Faciais. Fixação de Fratura. Traumatismos Faciais. Face.

Neurofibroma solitário extenso de nervo alveolar inferior em paciente pediátrico

Solitary neurofibroma of the inferior alveolar nerve in pediatric patient

Andre Luis Costa Cantanhede; Julio Cesar Silva de Oliveira; Elesbão Ferreira Viana Junior; Josimar Camelo; Eider Guimarães Bastos; Roque Soares Martins Neto

Relatos Casos Cir. 2019;(2): e2127 : Relato de Caso

Resumo PDF PT

O neurofibroma é um raro tumor da bainha de nervos periféricos ocasionalmente associado à neurofibromatose tipo 1 (NF-1) ou doença de Von Recklinghausen. Sua frequência é de 0,2% dos tumores de cabeça e pescoço. Este artigo objetiva apresentar um raro caso de um neurofibroma gigante solitário afetando o nervo alveolar inferior em um paciente pediátrico sem estimas da NF-1 tratado com excisão cirúrgica, sem intercorrências ou déficits funcionais ao paciente após três anos de acompanhamento. Ainda, esclarecer os leitores sobre as características desta lesão e seu manejo cirúrgico na região maxilofacial.


Palavras-chave: Neurofibromatose 1. Nervo Mandibular. Neoplasias Bucais. Mandíbula. Criança.

Tratamento cirúrgico de fratura do complexo zigomático orbitário em criança

Surgical treatment of zygomaticorbital complex fracture in child

Lívia Mirelle Barbosa; Eugênia Leal de Figueiredo; João Luiz Gomes Carneiro; Lívia Maria Lopes de Oliveira; Mariana Cruz Gouveia Perrelli; Belmiro Cavalcanti Egito Vasconcelos

Relatos Casos Cir. 2019;(3): e2215 : Relato de Caso

Resumo PDF PT

A frequência de fratura pediátrica do complexo zigomático orbitário (CZO) é extremamente baixa, o que pode explicar as divergências na literatura com relação à seleção da técnica cirúrgica para o seu tra-tamento. A cirurgia para redução e fixação interna das fraturas mostrou-se bem indicada para o caso, apresentando resultado satisfatório no reestabelecimento do contorno orbitário e projeção do terço médio da face. O objetivo deste trabalho é descrever a conduta clínica e cirúrgica diante de fraturas cominutivas na região zigomático orbitária de um paciente de três anos de idade, vítima de um trauma de alto impacto, resultando em deslocamento significativo do complexo zigomático, com perda de projeção importante do terço médio de face.


Palavras-chave: Fraturas Zigomáticas/cirurgia. Fraturas Orbitárias. Fixação de Fratura. Criança.

Copyright 2020 - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões