Orgão Oficial

RelatosCBC - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões - Journal of the Brazilian College of Surgeons

VERSÃO EM E-BOOK


Português

Capa

Ano 2017 Volume 4
Outubro / Dezembro

Relato de Caso

Abscesso hepático secundário à perfuração gástrica por espinha de peixe

Hepatic abscess secondary to gastric perforation by fish bone

Cláudio Franco do Amaral Kfouri, ACBC-SP; Maria Clara Ferreira Nonato Romania; Claudinei da Silva; Cleibe Nicácio da Silva; Guilherme Paulo Carvalho de Amorim

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-4

Resumo PDF PT

Perfurações do trato gastrointestinal por ingestão de corpos estranhos são extremamente raras e, em aproximadamente 84% dos casos, são causadas por espinhas de peixe. As complicações variam desde alterações inflamatórias leves até a formação de abscessos, obstrução intestinal e sangramento, e o diagnóstico costuma ser tardio devido à inespecificidade dos sintomas. Relatamos o caso de uma associação incomum de perfuração do trato gastrointestinal e formação de abscesso hepático, secundários à ingestão de espinha de peixe.


Palavras-chave: Abdome Agudo. Perfuração Intestinal. Abscesso Hepático. Corpos Estranhos.

Hérnia de Amyand: como conduzir um achado incidental?

Amyand's hernia: how to manage an incidental finding?

Bruna do Nascimento Santos Crouzillard; Bruno de Lúcia Hernani; Rafael Krieger Martins; Rodrigo Altenfelder Silva, TCBC-SP; Adhemar Monteiro Pacheco Júnior, TCBC-SP; André de Moricz, TCBC-SP; Sérgio Roll, TCBC-SP

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-4

Resumo PDF PT

A hérnia de Amyand consiste na protrusão do apêndice vermiforme, inflamado ou não, no saco herniário inguinal. Tem baixa incidência, variando de 0,4% a 0,6% das hérnias inguinais, mas seu manejo pode ser desafiador. Este artigo tem como objetivo relatar a condução de dois casos desta doença pela equipe de emergência do pronto socorro da Santa Casa de São Paulo, além de fornecer uma revisão de literatura sobre o seu diagnóstico e tratamento.


Palavras-chave: Hérnia Inguinal. Apêndice. Achados Incidentais. Terapêutica.

Ressonância nuclear magnética com contraste hepato-específico na localização de fístula biliar. Uma nova indicação para auxílio do cirurgião?

Magnetic resonance imaging with hepatospecific contrast in the location of biliary fistula. A new indication for the surgeon's help?

Marcelo D'Oliveira; Klaus Steinbruck; Renato Cano; Marcelo Enne, TCBC-RJ

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-3

Resumo PDF PT

A despeito dos avanços na cirurgia hepática, com melhora progressiva dos índices de mortalidade, as taxas de morbidade continuam elevadas. A fístula biliar é o principal fator de morbidade após ressecções hepáticas, tendo uma incidência em torno de 3% a 10%. Para escolha do melhor tratamento, o diagnóstico com a localização exata se torna primordial. Apresentamos um caso em que a ressonância nuclear magnética com contraste hepato-específico se mostrou uma importante ferramenta no diagnóstico, guiando o tratamento de fístula biliar.


Palavras-chave: Hepatectomia. Fístula Biliar. Diagnóstico por Imagem. Meios de Contraste. Imagem por Ressonância Magnética.

Apendicolito gigante versus íleo biliar: confusão diagnóstica

Giant appendicolith versus gallstone ileus: diagnostic puzzle

Camila Horr Zaki, AsCBC-RS; João Victor Vecchi Ferri; Lucas Kreutz Rodrigues; André Ricardo Pereira da Rosa, TCBC-RS

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-3

Resumo PDF PT

A apendicite aguda é causa comum de abdome agudo, acometendo até 7% da população mundial. No interior do apêndice podem se formar estruturas calcificadas conhecidas como apendicolitos, compostos de fezes endurecidas e depósito mineral que, quando presentes em casos de apendicite, se associam a maior índice de perfuração e de formação de abscessos. Os apendicolitos maiores de 2 cm são extremamente raros. Apresentamos o caso de um paciente portador de apendicite aguda com apendicolito gigante.


Palavras-chave: Apendicite. Abdome Agudo. Apendicectomia. Cálculos Biliares.

Pseudoaneurisma gigante de artéria esplênica associado a pancreatite crônica

Giant pseudoaneurysm of the splenic artery associated with chronic pancreatitis

Fernando Kennedy Pereira Chaves; Bruno Roberto da Silva Ferreira, AsCBC-CE; Gotardo Duarte Dumaresq; Francisco Julimar Correia de Menezes, ACBC-CE

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-4

Resumo PDF PT

O pseudoaneurisma de artéria esplênica é uma complicação vascular rara, e potencialmente grave, associada à pancreatite crônica. O dano ocorre como consequência da autodigestão e enfraquecimento da parede arterial por secreções pancreáticas. Relatamos o caso de um paciente portador de pancreatite crônica que evoluiu, após episódio agudo, com massa abdominal palpável, pulsátil e dolorosa em região epigástrica, cujo diagnóstico foi de pseudoaneurisma gigante de artéria esplênica.


Palavras-chave: Artéria Esplênica. Falso Aneurisma. Pancreatite Crônica. Procedimentos Endovasculares.

Achado incidental de linfangioma cístico de mesentério durante laparotomia por trauma abdominal contuso

Incidental finding of mesenteric cystic lymphangioma during laparotomy for blunt abdominal trauma

Bruno Roberto da Silva Ferreira, AsCBC-CE; Fernando Kennedy Pereira Chaves; Vitor Teixeira Holanda, AsCBC-CE; Heládio Feitosa de Castro Filho, TCBC-CE; Paulo Roberto Montezuma Sales; Raphael Felipe Bezerra de Aragão

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-4

Resumo PDF PT

Linfangiomas císticos são tumores benignos raros, com diagnóstico mais frequente em cabeça e pescoço e, mais raramente em abdome. A etiologia é incerta, ocorrendo predominantemente em crianças e adolescentes. Cistos do mesentério representam aproximadamente 1:20.000 internações hospitalares pediátricas. O diagnóstico é difícil de ser realizado, devido à ausência de manifestações clínicas na maioria dos casos. Contudo, deve ser considerado como diagnóstico diferencial em qualquer paciente portador de massa intra-abdominal. Este estudo relata o caso de um paciente portador de linfangioma cístico do mesentérico diagnosticado durante laparotomia por trauma abdominal.


Palavras-chave: Linfangioma Cístico. Mesentério. Cisto Mesentérico. Traumatismos Abdominais. Laparotomia. Cirurgia Geral.

Síndrome de Bouveret: abordagem cirúrgica não definitiva

Bouveret syndrome: non-definitive operative approach

João Victor Vecchi Ferri; Camila Horr Zaki, AsCBC-RS; Celto Pedro Dalla Vecchia Junior; Bernardo Silveira Volkweis, ACBC-RS; Ignácio Osório Mallmann

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-3

Resumo PDF PT

A síndrome de Bouveret é uma condição clínica rara, de obstrução do estômago distal ou duodeno por um grande cálculo biliar, após a formação de uma fístula biliar. O tratamento agudo envolve a resolução da obstrução, seja por endoscopia digestiva, litotripsia extracorpórea, laparoscopia ou cirurgia aberta. Nos casos submetidos à intervenção cirúrgica, muitas vezes, deve-se optar pelo tratamento conservador desobstrutivo, deixando a colecistectomia e a resolução da fístula biliar para um segundo momento, após otimização clínica do paciente. Relatamos um caso de síndrome de Bouveret causada por um cálculo de 3 cm de diâmetro impactado no bulbo duodenal.


Palavras-chave: Obstrução da Saída Gástrica. Obstrução Intestinal. Cálculos Biliares. Obstrução Duodenal. Fístula Intestinal. Endoscopia do Sistema Digestório. Procedimentos Cirúrgicos Operatórios.

Tumor estromal gastrointestinal de Íleo terminal

Gastrointestinal stromal tumor of the terminal Ileum

Rafael Victor Mierzwa; Luciano Dotta Guarienti; Marcelo Moreno

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-3

Resumo PDF PT

O tumor estromal gastrointestinal (GIST) é uma neoplasia rara, originária das células intersticiais de Cajal, localizadas no plexo mioentérico de Auerbach do tubo digestivo. O GIST se caracteriza pela expressão do receptor CD 117 (c-Kit) em exame de imuno-histoquímica. São mais comuns no estômago e, neste caso, possuem bom prognóstico se diagnosticados precocemente e tratados de forma adequada. O presente trabalho relata uma apresentação clínica incomum de GIST, que deve ser considerado como diagnóstico diferencial em doenças da região íleocólica que se apresentam com quadro de oclusão intestinal.


Palavras-chave: Tumores do Estroma Gastrointestinal. Neoplasias do Íleo. Intussuscepção. Abdome Agudo. Diagnóstico Diferencial.

Gossipiboma manifestado por obstrução intestinal e mimetizando neoplasia ovariana

Gossypiboma manifested by intestinal obstruction and mimicking ovarian neoplasia

Cláudio Franco do Amaral Kfouri, AcCBC-SP; Maria Clara Ferreira Nonato România; Guilherme Paulo Carvalho Amorim; Cleibe Nicácio da Silva; Claudinei da Silva; Luís Marcelo Inaco Cirino

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-4

Resumo PDF PT

O esquecimento acidental de corpos estranhos intra-abdominais após cirurgias, especialmente de compressas e gazes, é uma condição incomum e recebe o nome de gossipiboma. Devido ao quadro clínico inespecífico, o diagnóstico torna-se um desafio e muitas vezes se dá apenas no pós-operatório. A incidência do gossipiboma é de 1:1.500 laparotomias e possui uma taxa de 18% de mortalidade. Relatamos o caso de uma paciente de 36 anos com quadro de obstrução intestinal e massa abdominal que mimetizava neoplasia ovariana, que à laparotomia, mostrou tratar-se de gossipiboma deixado na cavidade pélvica após salpingectomia de urgência por gravidez ectópica realizada seis anos antes.


Palavras-chave: Corpos Estranhos. Tampões de Gaze Cirúrgicos Obstrução Intestinal. Neoplasias Ovarianas.

Paraganglioma gangliocítico duodenal: tumor raro como causa de sangramento digestivo

Duodenal gangliocytic paraganglioma: rare tumor as cause of digestive bleeding

Luca Soares Grisi; Marcelo Gonçalves Sousa; Alexandre Rolim da Paz; Thyago Duavy Férrer Lima; Jean Fabrício de Lima Pereira; Ana Luiza Melo Cavalcanti de Almeida

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-3

Resumo PDF PT

Paraganglioma gangliocítico é uma neoplasia rara que pode ocorrer no trato gastrointestinal, sobretudo na segunda porção do duodeno. Caracteriza-se histologicamente pela presença de células fusiformes, ganglionares e epitelioides. O diagnóstico, muitas vezes, é definido apenas com a análise histológica da peça ressecada, necessitando de estudo imuno-histoquímico para confirmação. Relatamos o caso de uma paciente de 53 anos diagnosticada com paraganglioma gangliocítico após realização de gastroduodenopancreatectomia por tumor duodenal.


Palavras-chave: Paraganglioma. Hemorragia Gastrointestinal. Imuno-Histoquímica.

Hérnia de Spiegel bilateral volumosa

Voluminous bilateral Spiegelian hernia

Paulo Sérgio Chaib; Rafael Pereira Coltri; Manoel Marcelo de Oliveira Castro

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-5

Resumo PDF PT

A hérnia de Spiegel, raro defeito da parede abdominal, é caracterizada pela protrusão de órgãos, saco peritoneal ou gordura pré-peritoneal através da aponeurose de Spiegel, que compreende a região da aponeurose do músculo transverso limitada medialmente pelo reto abdominal e lateralmente pela linha semilunar. É de grande interesse para o cirurgião, por sua dificuldade diagnóstica, por ser clinicamente incaracterística e por seu alto índice de estrangulamento, devido ao seu colo estreito e fibroso. O tratamento cirúrgico é mandatório, seja por técnica convencional ou por vídeo-laparoscopia. Apresentamos o caso incomum de um paciente de 66 anos com hérnia de Spiegel bilateral, cujo diagnóstico foi realizado com tomografia computadorizada. O paciente foi submetido à cirurgia eletiva convencional com correção primária do defeito e utilização de tela de polipropileno em posicionamento interaponeurótico.


Palavras-chave: Hérnia Abdominal. Aponeurose. Telas Cirúrgicas. Herniorrafia. Cirurgia.

Divertículo de Meckel obstruído por fitobezoar

Meckel's diverticulum obstructed by phytobezoar

Nilson Marquardt Filho; Leonardo Rasche; Vitor Campos Horbach; Ana Paula Seibert; Diego Reffati; Daniel Navarini

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-3

Resumo PDF PT

O divertículo de Meckel é a anormalidade congênita mais prevalente do trato gastrointestinal, acometendo cerca de 2% a 4% da população geral. Como principal forma de apresentação clínica observa-se o sangramento do divertículo, ocorrendo predominantemente em pacientes jovens, sendo raro na população adulta. Apresentamos o caso de uma paciente operada por obstrução intestinal, cuja etiologia era divertículo de Meckel obstruído por fitobezoar, uma rara causa de obstrução do intestino delgado.


Palavras-chave: Divertículo Ileal. Bezoares. Obstrução Intestinal. Intestino Delgado. Laparotomia.

Teratoma cervical congênito gigante

Giant congenital cervical teratoma

Giovana Camargo de Almeida; Cláudio Schulz; Hugo Akio Hasegawa; Jaqueline Surek; Paula Cristina Corrêa

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;(4):1-4

Resumo PDF PT

O teratoma cervical entra no diagnóstico diferencial das massas cervicais neonatais. Como pode ser constituído por mais de uma camada de células germinativas, podem estar presentes componentes vasculares e císticos que podem simular linfo-hemangioma nos exames de imagem. A ressecção cirúrgica é o tratamento de escolha, podendo ou não ser complementado com quimioterapia, dependendo do subtipo histológico. Relatamos o caso de um recém-nato portador de teratoma cervical congênito gigante, com destaque para a gravidade, as dificuldades diagnósticas e as opções terapêuticas.


Palavras-chave: Teratoma. Anormalidades Congênitas. Diagnóstico Diferencial. Recém-Nascido.

Copyright 2018 - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões